Uma Ilha

Uma Ilha

27 outubro a 6 novembro 2022

Quinta a Sábado às 21h30 / Domingos às 16h

Acolhimento de HIPÉRION Projeto Teatral

O medo instala-se, subjuga, é soberano, escreveu Tucídides.

E como poderemos arbitrar o uso, ou o mau uso, do poder? Qual o instrumento certo para desmontar os dispositivos da força?

 

Estas interrogações são levantadas na peça UMA ILHA o diálogo meliano. Trata-se de um texto construído a partir da obra História da Guerra do Peloponeso, do historiador Tucídides, onde nos é descrita, em pequenos diálogos e narrativas curtas, a luta fratricida entre atenienses e espartanos que teve lugar na Grécia, no tempo de Péricles, séc. V a.C.

 

A peça centra-se no episódio conhecido por ‘diálogo meliano’, em que os cidadãos da ilha de Melos, no Mar Egeu, ao largo de Creta, se opõem ao cerco levado a cabo por Atenas, reivindicando uma neutralidade no conflito do Peloponeso.

Era intenção dos atenienses controlar o Mar Egeu, as suas ilhas e estreitos, por onde passava todo o comércio naval, nomeadamente o abastecimento de cereais.

 

Que lugar têm os mortos no corpo da cultura? Referimo-nos a um exercício que transporta o tempo clássico para o centro da dramaturgia contemporânea. Estas são notas para um teatro de análise.  

Ficha Artística / Técnica

Texto

Mário Trigo (sobre motivos de Tucídides)

Encenação

Mário Trigo com Jaime Rocha

Dramaturgia

Alexandre Sarrazola, Jaime Rocha e Mário Trigo

Interpretação

Cirila Bossuet, Mário Trigo, Miguel Coutinho, Nisa Eliziário e Philippe Araújo

Música Original

Carlos Santos

Espaço Cénico

HIPÉRION Projeto Teatral

Figurinos

Joana Saboeiro

Direção Técnica

ShowVentura

Teaser e Fotografia de Cena

Susana Chicó

Fotografia, Imagem e Design

Tânia Cadima

Gestão de Apoios

Joana Ferreira

Produção

HIPÉRION Projeto Teatral

Apoio financeiro à Criação: República Portuguesa – Cultura / DGArtes

M/16

Reservas